Ajudando a dar sentido



Desde que cheguei da minha temporada de estudo na Índia venho testando técnicas de Design para melhorar a participação, o comportamento e os resultados dos alunos. Em cerca de 3 semanas fazendo testes já foram 3 planos de aula utilizando essas técnicas. Como venho me baseando em uma série de experiências que tive na Riverside e em conhecimentos que venho adquirindo ao longo do tempo, o que estou realizando com meus alunos na Escola José Carlos Pimenta é a criação de um método nosso, não trata-se de algo acabado, mas em desenvolvimento.

Na galeria de imagens abaixo eu compartilho dois dos planos que já foram desenvolvidos e trabalhados com os alunos. Digo desenvolvidos porque eles chegaram ao estágio em que estão com a ajuda dos alunos. De acordo com o desenvolvimento das aulas fomos acrescentando e retirando elementos.

No Plano 1, o primeiro que trabalhamos utilizando o recurso visual para auxiliar os alunos, a aula girava em torno de uma produção textual onde o aluno iria apresentar-se. Porém, o objetivo principal nele era testar o método, por isso nas etapas 1 e 2 conversamos sobre fluxogramas, mapas mentais, planejamento e reflexão. A ideia era introduzir esses conceitos para preparar o terreno.

  • No Plano 1 o resultado já foi muito bom. Apliquei o mesmo plano em turmas de 6º, 7º, 8º e 9º anos e de cara observei um avanço muito grande no comportamento, na produção textual e no engajamento. Vou enumerar as conquistas que já consegui observar em quase um mês de testes:
    • Houve uma melhora significativa na estrutura dos textos. E é importante observar que eu nem trabalhei especificamente estrutura textual nesse período. As produções ficaram mais fáceis de corrigir até, menos erros ortográficos e problemas de coesão;
    • O engajamento também melhorou. A participação durante a aula foi surpreendente, alunos que normalmente não se envolviam passaram a participar. Notei que o recurso visual nas mãos os ajudava a manter o foco nas etapas das aulas e, quando acontecia uma dispersão eles conseguiam se situar mais facilmente. Eles e elas também entraram com mais vontade na proposta do texto e falaram sobre si mais detalhadamente que o normal;
    • Nas etapas de trabalho mais voltadas para a oralidade também foi notório o avanço. As conversas foram melhor estruturadas, mais profundas e objetivas. A articulação das frases melhorou nessa etapa;
    • Outro importante ganho foi a melhora do comportamento, que por sua vez possibilitou outro avanço, veja o ponto a seguir:
    • Foi possível atender individualmente durante as aulas. Os alunos não só corrigiram individualmente comigo levando em conta cada aspecto dos seus textos como também puderam passar a limpo e me trouxeram de volta os textos reescritos e melhorados. Mesmo cada aluno trabalhando em fases e tempos diferentes, e ao mesmo tempo, conseguiram manter-se focados e a indisciplina diminuiu enquanto eu atendia um a um.

Mas um detalhe é imprescindível nesse processo, principalmente para que o aluno consiga ver sentido no recurso visual, a aula precisa ser muito mais dinâmica. A parte oral da aula precisa ser recheada de questionamentos, sequências de perguntas que envolvam o aluno de tal forma que o leve a um aprofundamento dos assuntos trabalhados, o uso do quadro para anotações nesse momento completam o processo. Sem esse momento dinâmico e participativo o recurso visual não conquista o aluno e não faz sentido para ele, já que o mesmo traz apenas palavras-chaves.

Com relação ao Plano 2 (vide primeira galeria de imagens), ele já foi mais elaborado e trouxe adaptações baseadas nas observações dos primeiros testes. Trata-se de uma aula que mobilizou diversos conteúdos, informações e habilidades, tudo centrado na palavra autocontrole. O recurso visual em questão ajudou os alunos a relacionar tudo que orbitou em torno dessa palavra em 5 dias de aulas.

Estudamos Gênero Textual, Classes Gramaticais, Etimologia, Homônimos e Parônimos, Novo Acordo Ortográfico, lemos, debatemos, produzimos, refletimos, realizamos pesquisas na internet e uma série de outros. Mais uma vez os ganhos foram visíveis e, nesse caso, destaco o engajamento, já que o mesmo foi desenvolvido em uma turma que vem passando por sérios problemas de desinteresse.

Bem, vou finalizando o texto aqui e convido-os a ler e interagir comigo fazendo perguntas e deixando suas impressões! Comente e compartilhe sem moderação!