A passagem do tempo na Riverside



Sobre o tempo aqui, já tenho algumas coisas a dizer nessa minha segunda semana de observação:

As aulas começam às 8 e pode ir até às 14, 15 ou 16 horas, dependendo do dia da semana. Cada dia tem em torno de 5 a 7 seções, que é o nome dado a cada horário. A aula normalmente começa com os professores escrevendo em quadros como esses da foto o horário do dia.

A passagem do tempo na Riverside

O fato de começar às 8 horas demonstra respeito ao relógio biológico dos envolvidos no processo, isso é outro ponto que me chama a atenção aqui. Nunca concordei e sou veemente crítico a aulas iniciando às 7 horas, isso compromete todo um dia de estudo, já que as crianças não estão plenas nesse horário. Estão cansadas e precisam de tempo para acordar de verdade. Além disso, o professor precisa estar na escola às 7 e já para iniciar as aulas, tudo bem estar na escola às 7, mas já para começar os trabalhos compromete a organização da aula, seria uma hora que daria mais qualidade ao restante do dia.

Agora uma pergunta; como você imagina que uma escola sinaliza para seus alunos o final e início de cada aula/seção, principalmente se a escola em questão for um ícone da inovação, como é a Riverside? Essa é mais uma das minhas observações sobre o tempo aqui. Fui surpreendido pelo fato deles usarem um sino, daqueles bem tradicionais, com uma corda amarrada ao badalo. De tempo em tempo uma funcionária da limpeza vai até ele e o toca avisando que mais uma seção vai começar.

É sobre essas transições de seção para seção a outra observação nessa temática tempo, ninguém corre pra nada aqui. Os professores não entram correndo e esbaforidos na sala, também não é assim que eles chegam na escola, mesmo se atrasados. Os alunos também não são ansiosos quanto ao tempo, e tudo aqui é terminado respeitando os tempos. Às vezes alguém entra de uma vez nas salas, um ou outro professor, mas isso nunca causa correrias.

Noto também que os professores não ficam olhando para o relógio, que fica na parede atrás deles, inclusive. Eles usam o tempo necessário para que os alunos concentrem-se ou tragam à mente lembranças de aulas passadas ou conteúdos já estudados. Às vezes demoram muito tempo em uma conversa, em exercícios de concentração ou revisando algo e, quando vão efetivamente começar a aula preparada para aquele dia, já está acabando o tempo, mas ninguém liga pra isso. Por sua vez, noto que os alunos estão 80% das vezes conectados com o momento, com a proposta da vez. A dispersão é quase zero, logo, o tempo é muito bem aproveitado.

Creio que terei novas coisas a escrever sobre essa temática, já que ainda tenho algumas semanas de observação pela frente, mas por hora, uma frase que resume a relação com o tempo nessa escola é: o tempo passa e a gente não vê.

Os alunos permanecem de 6 a 8 horas por dia na aqui realizando atividades que exigem muito do pensamento. O tempo todo estão sendo exigidos a argumentar, pensar sobre, problematizar e etc. Ainda assim, quando você menos percebe, o dia acabou. Não raramente, ao final da aula, alguns alunos se olham ou olham para a professora e exclamam:

– Acabou?!!!