The Bridge Room



Observei mais uma vez uma turma do Stage 1 – ciclo I. Foi uma turma de 1º ano, alunos entre 6 e 7 anos. Preferi passar toda uma semana acompanhando cada um dos 2 “Stages” da escola. Entro com eles às 8 e permaneço até o final das atividades previstas para aquele dia.

Hoje aconteceu um momento bem interessante e, creio eu, imprescindível para tudo mais que acontece na escola. Todos os alunos desse ciclo foram levados para uma sala circular chamada Bridge Room – Sala da Ponte. A sala parecia um cômodo normal, não fosse o fato de ser circular. Não tinha cadeiras para os alunos, mas tecidos no chão, até agora não presenciei atividades em que eles fizessem uso de cadeiras, ao menos não com os alunos desse ciclo inicial.

Em uma parede da sala uma projeção, de um lado as professoras e ao centro, na frente dos alunos, uma outra funcionária da escola. Ela os recebeu de forma bem simpática, os profissionais aqui demonstram bastante técnica para o trato com os alunos, mas não demonstram falas infantilizadas ou tratamentos exagerados com os mesmos, a fala firme tem sido uma ponto de bastante atenção pra mim.

The Bridge Room
A ponte para a “re-união” do conhecimento contruído na Riverside.

De 8:15 a 8:45 os alunos permaneceram nessa sala vendo slides com imagens de atividades realizadas no último mês. A ideia era rememorar com todos as atividades, enquanto rememoravam eram questionados de diversas formas pela funcionária:

– O que aprendemos com essa atividade?

– O que aconteceu nessa atividade, quem se lembra?

– Usamos técnicas de design – resposta de um aluno em determinada altura.

Outro aluno relembrou a ida ao Banco da Índia – o Banco do Brasil daqui.

– Fizemos compras no supermercado.

– Quais estratégias utilizamos?

– Cálculos, adição, combinação…

Em um dos slides foi relembrada uma atividade chamada Game Engineers. Nesse pontos os alunos relembrara, que foram levados a ser designers de games, e ficaram bastante empolgados nessa hora.

Também foram relembradas atividades em uma cozinha com os alunos fazendo receitas. O tempo todo vinham os questionamentos sobre os objetivos da atividades e o que eles lembravam dos momentos ali documentados em fotos.

Esse “resumão” faz parte da rotina dos alunos nos 3 ciclos, ele os ajuda a manter claro o percurso que estão percorrendo. Foi uma atividade um tanto quanto simples, mas que é de suma importância, principalmente por ser frequente e sistematizado aqui. Também demonstra a unidade do grupo, já que é uma terceira pessoa que rememora com os alunos o que foi feito em sala entre eles, as professoras e suas auxiliares.

Não deixa de ser também uma avaliação, para alunos e professores.

Percebo também o lugar importante da oralidade aqui. Muitas atividades são orais, nem sempre elas vão para os cadernos nesse ciclo inicial. A educação tradicional exige das crianças que elas escrevam o tempo todo, que registrem, copiem, desenhem e pintem e esquecem de fazê-las eloquentes e convidá-las a pensar e questionar as coisas.

Mais um ponto para a Riverside.

Obs. Decidi não postar mais de forma cronológica. Vou escrevendo sobre experiências que acompanhei com enfoque no que mais me chamou atenção e tentando desvendar o que há por trás de cada atividade proposta aqui.

Continuo aceitando sugestões e convidando-os a comentar e compartilhar com outras pessoas.

Mais imagens serão organizadas em uma galeria posteriormente, mas nas redes sociais (Facebook e Instagram) é possível ter acesso diários a imagens dessa experiência.